Amamentar em público

Às vezes fica difícil entender como, em pleno século XXI, as pessoas ainda se incomodam ao ver uma mulher amamentando em locais públicos. Desde que o mundo é mundo, os mamíferos mamam! Por que teria de ser diferente com o ser humano? Por que temos que ir para os cantinhos, por que é esperado que as mulheres cubram seus seios com um paninho? E se não houver paninho na hora? E se o paninho caiu no chão? Você vai colocá-lo em cima de um recém-nascido expondo-o ou vai dar o peito assim mesmo? A única forma de uma mãe não amamentar em público é não sair de casa, certo?

Essas são alguns dos dilemas colocados para mães que se sentem sexualizadas e pressionadas a não amamentar em público. Mães que precisam (ou querem) sair de casa, ter mobilidade nas cidades e muitas vezes precisam dar o peito em locais público. Porque o seu filho tem fome. Simples assim. E aí, deixa chorar?

A sociedade que não ajuda

A maldade está na cabeça de uma sociedade que vê pornografia em tudo. E que, historicamente, comparou, por exemplo, na propaganda, a mulher a cervejas gostosas e em programas matinais batizou-a até com nomes de frutas. Quem não se lembra das mulheres melancia, pêra e tantas outras…?

Infelizmente, as mulheres ainda são vistas como algo consumível. Literalmente, um pedaço de carne, que está ali se expondo para ser levado e consumido, de preferência em casa. Pior, como propriedade de alguém, e falta de vontades ou necessidades próprias.

 E aí eu me pergunto, como colocar o peito para fora, se até as outras mulheres que deveriam ser solidárias também reforçam esse comportamento, reprovando o ato de amamentar em público e o julgando como algo obsceno?

Como é para você amamentar em público? Você já enfrentou alguma situação constrangedora? Como foi lidar com isso em pleno puerpério?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso ajudar?